Brasil no primeiro lugar em ranking de consumo consciente

87% dos brasileiros preferem produtos de empresas com preocupações sociais

Publicado em 10/03 | 13:00 |Por: Érica Diniz

A pesquisa “Em boa companhia: O Valor do Consumidor Consciente” mostra o Brasil em primeiro lugar no ranking de sete países – Alemanha, Austrália, Canadá, Estados Unidos, França, México e Reino Unido. No total, foram entrevistadas 7.010 mil pessoas e dos 1.000 entrevistados no País, 87% disseram preferir adquirir produtos de empresa que tenham preocupações em melhorar a comunidade.

A pesquisa foi realizada em três continentes e fez um levantamento multinacional com o objetivo de mostrar a relação entre os consumidores e as empresas. 77% do total de consumidores entrevistados nos três continentes preferem as companhias que demonstram responsabilidade social. E cada vez mais consumidores estão dispostos a pagar 5 a 10% a mais por produtos ou serviços oferecidos por empresas que demonstrem preocupação com as comunidades.

Identificou-se que a grande maioria dos consumidores conscientes está disposta a pagar esses 5 a 10% a mais apenas para contribuir com a boa causa e estimular as outras companhias. “A pesquisa aponta um resultado surpreendente em relação ao Brasil e ao México, respectivamente com 87% e 85% de consumidores propensos a adquirir produtos ou serviços de organizações engajadas com o desenvolvimento das comunidades. Enquanto no Reino Unido obteve 67%, o pior índice”, afirma o head de marketing da Zendesk, Marcio Arnecke.

2016 Union+Webster Inc. All rights reserved

2016 Union+Webster Inc. All rights reserved

Proporção de consumidores conscientes e consumidores indiferentes em cada país

A pesquisa aponta que 74% dos consumidores disseram que recomendam as empresas nas redes sociais como: Facebook, Twitter e Amazon. Os ativadores sociais dizem que a visão positiva das empresas gera a comoção das outras pessoas, fazendo com que elas busquem alguma maneira de ajudar socialmente também.

60% de todos os consumidores fariam os dois: pagariam a mais para as empresas que tem consciência social e também colocariam o nome da empresa como palavra chave nas mídias sociais. Já 63% dos consumidores conscientes realizam compras de produtos pessoais e são ativadores sociais também (divulgam o nome daquela empresa), e 88% realizam compras para uso coletivo.

Metodologia aplicada
Aos entrevistados, os pesquisadores disseram que a Empresa B havia recebido um prêmio global de responsabilidade social fictício, uma premiação em reconhecimento aos esforços para melhorar a saúde humana e o bem-estar das comunidades onde estão localizadas. Já a Companhia A não teria nenhum prêmio. A situação de compra apresentada levou em conta que ambas as empresas fazem o mesmo produto, mas que a Companhia B os vende a preços que variam de 5% a 10% a mais do que a Companhia A pesquisa foi encomendada pela Zendesk, a pesquisa foi produzida pela Union + Webster International, especializada em diagnósticos sobre marcas e hábitos de consumo. Acesse a pesquisa completa.

(com informações da assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook